segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Resumo do livro de Celso Antunes “como transformar informações em conhecimento”. Fascículo 2

Como transformar informações em conhecimento


            O autor logo no inicio, traz à tona a afirmação de que é impossível saber como será o mundo de amanhã; ao mesmo tempo ele afirma que é na sala de aula onde se constrói o amanha pois,educar significa modelar o presente e lançar as bases para o futuro.
             Este fascículo trata, de forma geral, de normas e procedimentos que podem transformar a informação em conhecimento e fazer do professor um conhecimento e fazer do professor um artesão de inteligências. Apresenta de maneira sucinta,numa linguagem simples, clara e objetiva, nove passos, que podem transformar a fisionomia da sala de aula, sem levar em conta o nível de escolaridade ou a disciplina a ser lecionada.Regras estas ,essenciais para transformar a informação em conhecimento, permitindo o professor se tornar condutor de desafios.
           Ultimamente vivenciamos um momento em que o acesso a informação está mais acessível, onde a velocidade das mesmas acontece de maneira rápida, implicando dessa forma, uma nova postura do professor ,como medializador entre as informações e sua construção por parte do aluno e também do espaço escolar simbolizado pelo ato pedagógico.
           Procurando ajudar o professor nessa nova dimensão de seu trabalho, os autores elaboraram um conjunto de procedimentos, cujo objetivo é dar novos encaminhamentos às informações, explorando melhor as múltiplas inteligências dos alunos.Embora quase todos os professores os desenvolve ,nem sempre de maneira integrada,o fascículo busca a integralidade dos noves passos em cada aula a ser ministrada,passos estes que podem ser utilizados desde a educação infantil ao ensino superior.
           O primeiro passo referiu-se ao cérebro humano, informando que ele não aprende de uma única maneira e por esse motivo o professor necessita empregar em todas as oportunidades Aprendizagem Significativo, eliminando atividades mecânicas.
          O segundo passo: o uso em todas as aulas e em provas; das habilidades operatórias; pode apresentar diferentes estímulos para que o aluno perceba a essência do aprendido.
          O terceiro passo: a “alfabetização” do aluno para múltiplas linguagens possíveis de serem usadas para a compreensão de uma idéia..onde todo professor, deve ser um alfabetizador de linguagens pra que o educando perceba as multiplicidades de forma usadas para comunicar as idéias.
        O quarto passo: a re+leitura das informações através do manejo conscientes do universo vocabular do estudante. Pensar é agir o objeto e transformá-lo; a releitura proposta vai mito alem de uma segunda leitura. E sempre importante que o aluno participe ativamente do próprio aprendizado,e a releitura permite a experimentação de diferentes tipos de pensamento sobre o texto.
         O quinto passo: a eleição dos macroobjetivos de cada Capitulo ou Eixo temático.Isso permite que o educado não sobrecarregue o aluno de informações, mas para que ,com criticidade e consciência,eleja entre tantos tópicos os mais significativos para a pessoa do aluno, no ambiente em que vive.
        O sexto passo: a contextualização espacial e temporal de todos os temas trabalhados.A importância de explorar em todas as aulas contextualizações,fazendo com que o aluno aprenda o distante com incontestável associação o próximo ; que perceba que sua realidade e de seu meio é o cenário onde se aplica os fundamentos apreendidos em outros ambientes ou em outros tempos.
           O sétimo passo: o uso na sala de aula dos princípios da reversibilidade(do começo e do fim ao começo)e da divergência (pensamento divergente e convergentes).
           O oitavo passo: uma avaliação pelo ótimo. O acompanhamento do aluno necessita estar centralizado nele mesmo ,e seu portfólio registra os passos efetivos de seu progresso.
            O nono passo: o uso de estratégias pedagógicas empolgantes e diversificadas.É importante que o professor conheça outras estratégias de ensino e saiba alterná-las com a aula expositiva,da mesma forma que um competente mecânico seleciona a ferramenta certa para consertos específicos.
















REFERENCIA:
Antunes,Celso,1937-Como transformar informações em conhecimento/Celso Antunes.6.ed.-Petropolis,RJ:Voozes,2007.




2 comentários:

  1. que coisa mais grande é essa rrrrsssss kkkkk

    ResponderExcluir
  2. sÓ acha esse texto grande
    quem tem preguiça de LER.

    ResponderExcluir